E agora, Vodafone?

[A votação encontra-se no fim do artigo]

A campanha segredo vodafone que a empresa gizou ameaça tornar-se um flop. No flog que a empresa criou o tom dos comentários é negativo e zangado, nos blogues aponta-se o dedo à mediocridade da campanha e nos motores de busca surgem cópias de videos, fotos e tags que servem para, entre outros objectivos, abafar o efeito crítico dos blogues – uma subespécie de spam dos motores de busca.

Se o leitor tivesse a seu cargo as relações públicas da empresa o que faria? Encerrava a campanha e pedia desculpas? Altamente improvável. Fuga para a frente a ensair um “a gente estava a brincar, como é que não perceberam?” Ou seguir o guião como se nada fosse?Talvez, a julgar pelo segundo video da série mas posso garantir que a empresa não ignora o que se passa neste blogue e que alguém da vodafone esteve aqui várias vezes ao longo do dia. Aliás, também fomos visitados pela central que produziu o trabalho, logo na sexta feira e hoje. Não posso garantir mas a informação de que disponho indica que também durante o fim de semana o blog foi visitado por visitantes particularmente interessados (informações das estatísticas deste blogue).

Nos blogues, Bruno Ribeiro entende queComo campanha de marketing assumida está interessante, embora o tom do blog pudesse ser mais sincero; como tentativa de simular um blog é verdadeiramente fraca” e O Pedro F. aponta um exemplo semelhante em França Espanha e que poderá ter inspirado este segredo. Há outros blogues a comentar este segredo vodafone embora parte aparente ter menos de uma semana de vida, if you know what I mean.

Nos resultados do google e, calculo, de outros motores de busca, encontram-se ligações para mais de uma dezena de sites de tags (etiquetas), sites alojamento de videos, e até de fotografias que permitem apresentar a versão “oficial” da história e têm ao mesmo tempo o efeito de abafar ou diminuir a preponderância de comentários críticos como os que referi no parágrafo anterior. Se tiver possibilidade publicarei nova entrada esta semana detalhando o modos operando da campanha.

Esta técnica de inundar os resultados com ligações amigas é uma forma de spam (dos motores de busca). Disclaimer: no sábado ao ver algumas dessas tags criei a minha num serviço nacional...
Ao contrário do que a Vodafone parece acreditar a beleza destas ferramentas não está em abusar delas para encher os resultados de comentários positivos mas o de possibilitar e facilitar ( do inglês enable) que os fãs o façam (vejam ali para o canto superior direito onde diz ligações e links, na coluna da direita). Mas isso requer marketing viral com uma mensagem autêntica, algo que já sabemos requer talento, trabalho e sorte.

A campanha "segredo vodafone"








View Results

Repito a pergunta que deixei acima, se a decisão fosse sua que medidas tomaria? Utilize os comentários, ou contacte-me pelo formulário se prefere partilhar em privado.

O segredo da Vodafone: “Temos um flog”

Ainda estou nervoso com o que acabou de acontecer. :s Eu e mais dois amigos fizémos uma “visitinha” nocturna à sede da vdf. (…) Entrámso sem muita crise, mas lá dentro as coisas complicaram-se. Os meus amigos foram agrafados… :( e só eu é que voltei. Mas não fiquei de mãos a abanar!!! Consegui sacar um cd com software que me parece bombástico!!! A vdf vai ficar passada quando perceber o que eu saquei… Fiquem atentos. Amanhã ou dps dou-vos mais detalhes…

Reza assim a primeira entrada do blogue “segredo vodafone” (http://segredovodafone.blogspot.com), que se dispõe a revelar um segredo comercial da companhia. É mentira. O verdadeiro segredo da Vodafone é outro: este blogue não é obra de um imbecil que gosta de filmar as palermices que inventa com os amigos, antes uma ficção cuidadosamente executada e planeada para abrir caminho a uma qualquer campanha publicitária a ser executada brevemente pela empresa. A ficção culmina na apresentação de um video executado pelas mãos hábeis de profissionais e alojado no youtube. Ao mesmo tempo o video é também colocado no Sapo videos e noutros serviços de video…

Chama-se a isto um flog (de fake blog), provavelmente o primeiro flog (comercial) da história da blogoesfera portuguesa, e ao que tudo indica da responsabilidade da empresa, que terá comissionado esta “promoção” a uma agência de comunicação e publicidade lisboeta. A Vodafone entra assim para a galeria das empresas que tentam instrumentalizar a blogoesfera para gerar marketing viral (diz-se viral, quando a mensagem se propaga por si própria, imaginem um anúncio irresístivel que têm de comentar e contar a todos os vossos amigos), ao lado de empresas respeitadoras e admiráveis como… a Wal-mart. Da wikipedia:

(sometimes shortened to flog or referred to as a flack blog) is a marketing tool designed by a professional advertisement company to promote a product in a fashion one might find on a fan site or in regular blog entries. The purpose of such “flogs” is to inspire viral marketing or create an internet meme which generates traffic and interest in a product disproportionate to the interest a company could generate using the same budget on traditional means of advertising, (…)

Shame on you Vodafone. Com tantos milhares de milhões de libras de lucro só em 2006 ano será que não podiam gastar uma mera fracção com criativos talentosos capazes de criar autêntico marketing viral? É este o respeito que os vossos clientes vos merecem?

Adenda: No Público digital Pedro Ribeiro diz que me sinto irritado. Talvez esteja, mas prefiro o adjectivo desapontado. Quem me conhece sabe que eu adoro, vivo e respiro marketing viral e que tenho bom marketing de permissão em elevada consideração (estaria em contradição com o nome deste blogue se assim não fosse). E é por isso extremamente desapontante para mim que a primeira interacção de uma e(E)mpresa portuguesa de dimensão com a blogoesfera lusa seja feita com esta campanha medíocre e impostora num momento em que as expectativas de quem lê blogues são ainda relativamente baixas. E era tão fácil não fazer borrada.

Eu, agressor, me confesso

Assim de repente, vêm-me à memória a Vodafone, a Superbock e o AEIOU, distintas marcas que neste blog “maltratei”.

Capa da meios e publicidade: defender as marcas dos bloguesA Raquel fez-me chegar esta palermice à minha caixa de correio:

As marcas estão agora mais expostas a ataques provenientes de blogues. Explicamos, num tema destacado na capa desta semana do M&P, que através de uma boa gestão, as marcas poderão tirar dividendos.”

Isto é o mesmo que dizer que as marcas têm de se defender dos seus clientes, como escreve o Paulo. É não perceber que a marca surge agora como manifestação das experiências com os produtos e serviços.

Deixo algumas sugestões para destaques futuros na M&P, que na linha do raciocínio subjacente, me parece perfeitamente legítimos:

- Como defender as marcas das agências de publicidade.

- Como defender as marcas do departamento de marketing.

- Como defender a Meios & Publicidade dos títulos imbecis.


Adenda: A capa alternativa da Meios & Publicidade enviada pelo dissidentex:

Meios e publicidade - capa alternativa

Postais de Natal do MB. Quer dizer…

marketing busca

Podia deixar aqui um cartão de Natal aos leitores mas estimo que os leitores não se importarão em passar sem o preciosismo. Em vez disso, publico algumas imagens manipuladas por um dissidente que deseja permanecer anónimo…

O que se segue é da minha inteira responsabilidade.
Justiça lhe seja feita, ele fez quase tudo para impedir que eu publicasse este cartoon juntamente com a entrada que dediquei à Super bock.

segredo vodafone

(Original pelo Hugh; inspirado neste comentário.)

Por quase tudo, digo enviar-me imagens como a primeira e as que se seguem, para que eu as utilizasse na entrada.

seo newbies

Esta cassete seria uma ilustração quase perfeita para a entrada não fora a confusão com SEO. MKT seria a sigla apropriada, mas não fui claro na minha explicação.

tape superbock

Um feliz Natal para todos os leitores.

Optimizar Videos no Youtube e Sapo videos

Já se interrogaram porque alguns vídeos obtêm dezenas de milhares de visitas no Youtube sem atributos especiais enquanto outros, mais interessantes, relevantes e melhor produzidos se ficam por audiências modestas? A resposta poderá estar na promoção e, como podem calcular, existe já uma indústria dedicada a explorar o filão da optimização de vídeos.

Veja-se o excelente vídeo abaixo de promoção do turismo de Portugal em inglês. Não sei se foi produzido para o meio ou se a sua colocação no youtube não terá sido mais do que o resultado do empenho de um funcionário entusiasmado nas horas mortas do trabalho. Mas sei que, até ao momento, o vídeo conta apenas com 6200 vistas em 6 meses, a maior parte das quais aparenta partir de sites portugueses. Um pouco de promoção não lhe faria mal algum.

Há duas semanas o Techcrunch publicou uma entrada convidada de um idiota que se dedica exactamente a isto: promover vídeos dos seus clientes nos sítios de partilha. Colocando de lado o facto deste imbecil não querer saber da distinção entre influenciar intermediários (relações públicas, SEO) e intrujar utilizadores (spam), a entrada contém excelentes dicas para quem pretende chegar às páginas dos mais vistos e maximizar o número de vistas.

Optimização do título

O título do vídeo é importante não só para os motores de busca como para a pesquisa interna do sítio de vídeos, além de atrair a atenção dos utilizadores. Um título curto que caia no goto dos visitantes pode ajudar à difusão viral nos primeiros dias do ciclo e pode mais tarde ser alterado para algo mais esclarecedor sobre o vídeo (e, se for o caso, a marca).p>

Imagem de Amostra do Vídeo

Uma imagem de amostra (thumbnail) de boa qualidade e apelativa gera mais visitantes. O Youtube oferece três possibilidades para a imagem de amostra: uma delas é colhida exactamente a meio do vídeo. Para quem lida com vídeo não será difícil antecipar qual a imagem utilizada ou que certas imagens gerarão maior interesse que outras….

Carregar vários vídeos ao mesmo tempo

Quem produz uma sequência de vídeos está habituado a libertá-los para o público a espaços de forma a criar expectativa (ainda estão recordados do segredo vodafone)? Nos media tradicionais (e em algumas campanhas na internet com orçamentos generosos) esta estratégia vinga porque o produtor controla a forma como os utilizadores visualizam o vídeo. Mas não é isso que acontece no Youtube: os utilizadores não têm paciência nem estão preparados para esperar pela sequela. Se eles querem gostarem do primeiro, vão querer ver mais. Porém, não voltarão à página nos dias posteriores, a não ser que se trate de algo realmente excepcional.

Optimização das tags

O uso das tags é importante na procura interna e também nos motores de busca pelo que convém etiquetar o vídeo com as “keywords” apropriadas. Todavia, o referido autor descobriu um outro atributo das tags que usa durante a primeira semana do vídeo, antes de as optimizar para as buscas do site: a colocação do vídeo nos “vídeos relacionados”. Efectaudo correctamente, os utilizadores encontrarão os vídeos junto de outros relacionados e populares.

Promoção em blogs e redes

Um aspecto importante e normalmente descuidado é a promoção do vídeo junto de bloggers e utilizadores de redes sociais. A abordagem do autor é, para mim, sinónimo de spam….Porém, isso não significa que se deixe de encorajar os nossos contactos e outros utilizadores a partilhar o vídeo.

Quando o conteúdo não é rei

Existem vídeos que pela sua singularidade e unicidade nos forçam a parar para revê-lo e a querer partilhá-los com os nossos amigos. Contudo, a maioria dos bons vídeos continua a depender de alguns truques para sobressair:

- Vídeos curtos: o ideal para a difusão viral serão 15 a 30 segundos.
É importante notar que sites como o Youtube apenas contam como “view”, a visualização completa, pelo que, se o objectivo é chegar aos mais vistos (para gerar ainda mais visitas), esta é uma condição importante.

- Vídeos simples, que permitam aos utilizadores criar as suas próprias remisturas.

- Nada de anúncios explícitos. Se se tratar de um anúncio, o melhor é que seja realmente bom; caso contrário o melhor é ser discreto.

O autor aponta ainda para algumas técnicas que os publicitários já manipulam magistralmente: uso do sexo e títulos enganadores, mas não serei eu a recomendá-los :-)

A cauda longa do marketing de busca

Em menos de 3 meses este blog recebeu centenas de visitantes enviados pelos motores de busca. Para cá chegar esses visitantes inseriram nas caixas de pesquisa diferentes termos ou combinações de termos:

search marketing long tail


Os 10 termos mais utilizados representam menos de 1/4 das visitas, uma percentagem bastante menor se excluirmos a anomalia do primeiro resultado. É natural que esta percentagem cresça à medida que este blog vai subindo nos rankings do google e começa a aparecer bem colocado para termos mais competitivos.

Normalmente os webmasters concentram os seus esforços em estar bem posicionados nos motores de busca para estas combinações mais populares e ignoram quase tudo o resto. À medida que a competição aumenta, os rankings se tornam mais incertos e os utilizadores aprendem a trabalhar com as ferramentas de busca, uma boa optimização interna será extremamente importante para estar no primeiro lugar no Google também para os outros termos, a chamada cauda longa da busca. As combinações que não aparecem no gráfico trouxeram até aqui 3/4 dos visitantes. Visitantes provavelmente melhor informados e já com uma ideia do que procuravam.
No caso deste blog estamos a falar de 742 combinações diferentes, até ao momento.

Adenda: Saiu na sexta mas só no domingo vi, este video da seomoz sobre este mesmo assunto:

Blogs para empresas

O Bruno Amaral publicou há dias uma interessante entrada para quem se inicia no mundo dos blogs, o manual do cultivo de blogs. Gosto deste título coloca a ênfase no “cultivo”, uma actividade que requer um pequeno investimento, dedicação constante e uma boa dose de paciência para que se possam colher os seus frutos.
Pensar o contrário é mera ilusão, e aqueles que como a Vodafone pensam acelerar o processo com uns “pozinhos de mágica” acabam por se queimar com o próprio fogo. Não concordo com outro Bruno, o Ribeiro, quando diz que a empresa inutilizou a blogoesfera como instrumento de marketing nos próximos tempos, quando muito terá deixad alguns caralas das corporações a repensar a estratégia. Confio até que vai facilitar a tarefa dos próximos que se aventuraram no meio, as expectativas dos bloggers são bastante reduzidas, e basta “ fazer melhor do que a Vodafone” para se ser aceite. Em breve veremos empresas portuguesas a afluírem a este meio,sobretudo PMEs que poderão colher dividendos da visibilidade na blogoesfera.

Fala-se em visibilidade e a pergunta que normalmente se coloca aos SEOs é qual a melhor localização de um blog. A resposta é quase sempre o próprio site da empresa, uma directoria ou subdomínio, excepto se tal inibir o blogger a assumir o discurso mais casual dos blogues, ou se o site da empresa for gigantesco. A utilização das plataformas mais populares como o blogger.com ou blogs.sapo.pt já não é condição necessária para encontrar uma vizinhança com a qual estabelecer um diálogo, são cada vez mais o desenrasca daqueles que não têm recursos técnicos, financeiros e intelectuais para criar o próprio espaço.

Refira-se que alojar o blog em domínio próprio e mantê-lo actualizado não é tarefa simples a quem possa confundir FTP com federação de tiro aos pratos. Há no mercado soluções comerciais a preços bastante acessíveis, com domínio incluido, casos do wordpress.com e typepad. Geralmente melhores até do que soluções costumizadas e integradas no cms lá da empresa.

Primeiro Lugar no Google

«Quer ser o primeiro no Google? Resultados garantidos.» Se ainda não recebeu esta gentil proposta no seu email ou encontrou na internet não se inquiete que não há-de demorar muito. Garantido mesmo é o ganho dos burlões, de cada vez que alguém menos precavido cai na esparrela.

O primeiro logro é assumir a possibilidade de garantir o primeiro lugar no Google. Lamentamos, mas o stock entrou em ruptura…Ninguém lho pode garantir, dada a normal volatilidade do algoritmo do Google, tratando-se de termos de busca que realmente interessem – mais sobre isto adiante. O que lhe será razoável prometer é um trabalho sério e sólido que conduzirá o seu site até ao topo dos resultados para os termos que possam interessar aos clientes dos seus produtos e serviços – e que possam converter em benefícios reais para o cliente. Promessas hiperbolicas apresentam normalmente uma correlação negativa com performance – garanto eu.

Mas o facto de prometer, não quer dizer que não cumpram de todo… o alvo destas iniciativas são pessoas com menor conhecimento de informática e do funcionamento dos motores de busca. Há duas formas relativamente fáceis de os enganar:

A primeira é com anúncios adsense no Google. Essa era fácil. O problema é que não só o cliente paga para um serviço e recebe outro, como a performance dos anúncios pagos é manifestamente inferior à dos sites presentes nos 3-5 primeiros resultados de uma busca. Os internautas confiam no Google e dão mais atenção aos resultados orgânicos.

A segunda maneira consiste em optimizar para o nome do cliente, normalmente único e sem muita competição. «Seria como colocar um Outdoor na porta da sua empresa ao invés de em um lugar onde estão seus possíveis clientes», como diz este megalomaníaco vetusto. Deixa o cliente feliz ao ver o seu nome no topo dos resultados mas será que interessa? Se o seu nome for reconhecido por toda a gente (pense ikea, vodafone, sapo, continente, marcas fortes e globais) sim, mas normalmente é apenas a cereja em cima do bolo e efeito indirecto de uma boa optimização.

O que realmente interessa são os resultados que os clientes normalmente procuram. É aí que está o prémio. E também a dificuldade